O que é EMDR?

O EMDR (em português: dessensibilização e reprocessamento através do movimento ocular) é uma excelente intervenção que pode ser aplicada de maneira breve. Foi criado pela psicóloga americana Dra. Francine Shapiro psicólga americana, PH. D, no final dos anos 80 na Califórnia.

O que é EMDR

Trata-se de um método estruturado de dessensibilização e reprocessamento de experiências emocionalmente traumáticas por meio de estimulação bilateral dos hemisférios cerebrais.

O Transtorno de estresse traumático e pós-traumático (TEPP), os quadros de depressão, ansiedade generalizada, fobias, síndrome do pânico, obesidade, relacionamentos interpessoais, dor e doenças crônicas e psicossomáticas, luto, são alguns dos quadros que respondem muito bem ao método.

O EMDR, também é muito utilizado para o desenvolvimento de estratégias de Coaching, aprimorando o desempenho do papel profissional.

O que são Traumas?

Em geral, o trauma psicológico é produzido a partir da vivência de uma experiência dolorosa, angustiante e crítica. Pode dificultar a adaptação das pessoas no seu dia a dia, porque se torna gravado na mente, podendo levar a uma profunda desordem psicofisiológica.

É de natureza excepcionalmente ameaçadora ou catastrófica que põe em risco a segurança ou integridade física e emocional da pessoa ou pessoa amada. Um bom indício da existência do trauma é a impressão de que a experiência passada insiste em permanecer no presente.

Como exemplo, podemos citar a perda de entes queridos, abortos, acidentes, separações, assaltos, sequestros, violência sexual, decepções graves, mudanças drásticas de vida como enfermidades, cirurgias, perda de emprego, conflitos graves em geral, etc.

Quem pode fazer EMDR?

Qualquer pessoa pode se submeter a este método, até mesmo crianças quando detectados sinais de ansiedade, medo e/ou fobias, abuso, dificuldade de aprendizado, entre outros.

Mas, sobretudo, o EMDR se mostra altamente eficiente para pessoas que sobrevivem cercadas pelas imensas muralhas que representam seus bloqueios emocionais, fobias, ataques de pânico, ansiedade, problemas familiares nunca resolvidos, separação, luto, abuso sexual, situações de violência extrema, traumas de guerra e lembranças altamente dolorosas.

Como funciona o EMDR?

A focalização de elementos da memória traumática e a estimulação bilateral (visual, auditiva ou tátil) promovem o “diálogo” entre os hemisférios cerebrais e a “metabolização” (reprocessamento) do trauma.

Em pouco tempo, o indivíduo tem a sensação de maior distanciamento da perturbação traumática. Espontaneamente começa a reavaliar a experiência a partir de uma perspectiva mais otimista.

É comum que após o reprocessamento a lembrança do que antes era uma morte traumática perde seu poder de ferir e a pessoa é capaz de resgatar as lembranças de bons momentos.

A partir dessas conquistas, a pessoa organiza-se melhor, passa a desfazer-se de sentimentos de culpa inadequados, consegue planejar um futuro melhor, a se permitir desejar coisas boas para si.

Agende uma consulta aqui e tire suas dúvidas.